Buscar
  • The Plot Company

Storytelling: Reconheça o lado negativo

Há mais de 15 anos que visito empresas e a rotina de entrada é e mesma. O fornt desk do prédio que não entende o nome da empresa (Soupi? Ploft?), a recepção da empresa com tentativas de mostrar “quem eles são” e finalmente a parede. Ah, a parede!


Uns com quadro outros mais “ousadinhos” com pintura na parede. Mas ambos com a mesma afirmação, o que nos dá a impressão de ser um template com a declaração de quem ele “acham” que são:

  • Nosso Valores: honestidade, ética, foco em resultados, respeito e diversidade.

  • Missão: Nossa missão é oferecer aos nossos clientes produtos e serviços de alta qualidade, atendendo as necessidades de nossos acionistas a criando valor para o planeta conseguindo desenvolver uma sociedade sustentável. 

Caramba! Seria essa a missão de DEUS? 

Claramente essas palavras e frases não representam a ‘vida como ela é’ dentro da empresa. E arriscamos dizer que nenhum funcionário acredita nisso, além do dinheiro e tempo que foi gasto com consultorias para chegar nesse tipo de conclusão



Muitas vezes lemos estas palavras e quando conversamos com alguns funcionários perguntamos se eles sabem qual é a missão e os valores. Nenhum deles sabe. O que não nos surpreende, pois é isso que acontece na maioria das empresas. 


Agora, o mais importante, você sabe o porquê isso acontece?


O lado positivo da vida só existe em função do lado negativo. Nós só lutamos para sermos algo positivo pois queremos evitar o negativo. Nós só nos fortalecemos e arregaçamos nossas mangas quando precisamos.


Quando forças contrárias aparecem na nossa frente nos damos conta que se não fizermos algo a "queda livre" pode acontecer.


Em outras palavras, uma empresa quer honestidade, ética, foco em resultados, respeito, diversidade, pois existem muitas pessoas desonestas, antiéticas, sem foco em resultado, desrespeitosas e preconceituosas. 

Ignorar o lado negativo da vida é uma doença chamada NEGAPHOBIA, que nada mais é do que o medo do lado negativo e suas consequências. Essa doença é responsável por criar culturas insustentáveis e frágeis. 

Isso acontece pois quando fugimos da realidade ficamos limitados a enxergarmos apenas o lado “poliana” da vida. E então criamos posicionamentos que são mentirosos e que não geram identificação pois todos sabemos que a vida não é esse “mar de rosas”.



Storytelling: a vida não é um mar de rosas


A tentativa de chegar à perfeição (a marca perfeita, o produto perfeito, a pessoa perfeita) cria relacionamentos vulneráveis e propícios a terem um final trágico. Afinal, a qualquer momento a “máscara” da perfeição vai cair.


E a qualquer momento a vida vai nos colocar de joelhos e nessa hora não importa o quanto você “se acha perfeito” pois terá que arrancar forças de algum lugar que nunca foi visitado antes pelo seu consciente!


Quando você assume suas imperfeições, e mostra O QUE você é capaz de fazer, mesmo quando vulnerável, você passa a ser alguém admirado. 

Eleger “adaptabilidade” como um valor da empresa, assumindo que existe muita “rigidez” entre as pessoas que ali trabalham, abre portas para o APRENDIZADO, e para um caminho de evolução fundamental para pessoas se tornarem mais fortes como indivíduos e como grupo.



Storytelling: qual é a sua história?


Afinal, todo mundo tem dentro de si um lado adaptável e um lado rígido, e saber lidar com essa dualidade é se tornar um protagonista mais forte. 


Quando matamos este processo de aprendizado, matamos todos os aprendizados e o potencial protagonismo que poderia levar nossa história para um final desejado.  

Este processo de reconhecer o lado negativo da vida como impulsionador do lado positivo serve para diversas situações, entre elas:

  • Reunião de vendas ou Campanha de Marketing: Não tente prometer que seu serviço será incrível sempre. Nem que seu produto não terá problema. Ou que você sabe tudo sobre um determinado assunto. Tudo isso o torna perfeito demais para ser verdade, e a audiência desconfia. Ela se empatiza pelos seus semelhantes, e ela sabe por experiência de via que ela não é perfeita. Mostre a verdade e demonstre que você é capaz de contornar o lado negativo SE e QUANDO ele acontecer. Honestidade vende mais que perfeição.

  • Reunião de resultados: Não acredite que os gráficos contam histórias. Procure o que existe por trás dos fatos, dos números e dos fatos. Você tem uma história para contar e deve utilizar os gráficos, os dados e os números para suportar a sua história. Não adiantam números que mostram crescimento e poder, se por trás desses números existe uma história de vulnerabilidade e fraqueza que virá à tona em algum momento. 

Entender e colocar em prática o VERDADEIRO STORYTELLING, faz de você uma pessoa mais interessante, que enxerga a realidade, que sabe o que está fazendo, que é honesta e verdadeira. E ser reconhecido como tal é muito gratificante. Só assim você será lembrado por mais tempo. Isso sim é LEGADO.


Agora que você começou a entender o que é Storytelling de Verdade, o que você vai fazer?

4 visualizações

Joni Galvão - Todos os direitos reservados